Buscar
PORTAL
DA SAÚDE
PORTAL
24 HORAS
Iptu Issqn Refis
Refis Refis
Agência de Notícias

15/04/2019 14:24
Cerimônia de abertura acontece na próxima segunda-feira (22), as 19 horas, na Fundação Cultural



Comente!

Terá início na próxima segunda-feira (22) a oficina de “Formação de formadores em monitoramento e avaliação de projetos e políticas públicas de educação ambiental de transição para sociedades sustentáveis”. A cerimônia de abertura acontece às 19 horas na Fundação Cultural. A oficina se estende até o dia 24 com aulas no Instituto Federal do Paraná (IFPR), em Foz. 

O evento reunirá representantes da sociedade civil, de prefeituras e governos do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul que atuam na formulação e execução de políticas públicas de educação ambiental. 

A oficina é parte do projeto da Plataforma Brasileira de Monitoramento e Avaliação de Projetos e Políticas Públicas de Educação Ambiental, desenvolvido pela ANPPEA, a partir de sua Secretaria Executiva, composta pelo FunBEA - Fundo Brasileiro de Educação Ambiental, Laboratório de Educação e Política Ambiental (Oca) da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo, do Centro de Ciência do Sistema Terrestre (CCST) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e Ministério do Meio Ambiente (MMA). A Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Meio Ambiente e o Coletivo Educador são parceiros do evento. 

A oficina contará com 36 horas de duração, sendo 20 horas presenciais e 16 horas com atividades à distância a serem cumpridas até 24 de maio de 2019. Os participantes receberão certificado se alcançarem 100% de frequência e cumprirem as atividades à distância.

Para Rosani Borba, educadora ambiental da SMMA e membro do Coletivo Educador, é de grande relevância para Foz apoiar a realização de uma oficina que tratará de indicadores de projetos e políticas públicas de EA. “Entendemos esse processo formativo como oportunidade de avaliarmos nossa caminhada e aplicá-lo em nosso trabalho futuro, considerando que estamos no momento construindo a Política Municipal de Educação Ambiental. O município de Foz do Iguaçu e região atuam há mais de uma década com Educação Ambiental” afirma. 

Participação
O público-alvo contempla educadores ambientais, gestores públicos municipais, estaduais e federais, técnicos e analistas representando as CIEAs, Coletivos Educadores, Coletivos Jovens, Comissões de Meio Ambiente e Qualidade de Vida (ComVidas) das escolas do ensino fundamental e médio, Salas Verdes (projeto do Ministério do Meio Ambiente – MMA), redes de educação ambiental,  unidades de conservação, comitês de bacias hidrográficas, escolas, instituições de educação superior, organizações não governamentais, movimentos sociais e setor privado, entre outros atores.

Os participantes serão estimulados e orientados para executar ações de monitoramento e avaliação de projetos e políticas públicas de educação ambiental, utilizando um conjunto de 27 indicadores lançados pela ANPPEA em dezembro do ano passado. “Os indicadores possibilitam acompanhar os processos e resultados das políticas públicas de EA por meio de análises integradas promovidas pelos diversos atores que atuam neste campo socioambiental do Brasil”, declara Maria Henriqueta Andrade Raymundo, Coordenadora da Secretaria Executiva e formadora da ANPPEA.

Com base nas informações compartilhadas nas cinco oficinas, que estão sendo realizadas nas cinco regiões do país, a equipe da Secretaria Executiva da ANPEEA começará a mapear as Políticas Públicas de Educação Ambiental (PPEA) executadas por estados, municípios e outros atores no Brasil. Os resultados desse mapeamento serão divulgados no seminário nacional de lançamento da Plataforma Monitora EA, previsto para ocorrer em Brasília (DF), no segundo semestre de 2019.

Comentário