Buscar
PORTAL
DA SAÚDE
PORTAL
24 HORAS
Iptu Issqn Refis
Refis Refis
Agência de Notícias

12/06/2019 08:56
Prioridade serão as 50 escolas e 39 CMEIS, que terão ao menos 5 representantes em cada unidade para atuar em situações de emergência; ação é inédita do município



Comente!

A Prefeitura de Foz do Iguaçu implantou, por meio do Decreto nº 27.273, o Grupo de Brigadistas de Incêndio nas unidades administrativas da Administração Direta do Município.  A medida inédita vai atender as 19 secretarias, além das 50 escolas da rede pública e 39 CMEIS (Centro Municipal de Educação Infantil). 

“É uma ação inédita, mas que atende a uma necessidade antiga do município, em proporcionar maior segurança e proteção da integridade física para pais, alunos, professores, servidores da administração direta e usuários” explicou o prefeito Chico Brasileiro. 

Os grupos de brigadistas – formados por servidores do regime estatutário e celetista – passarão por treinamentos sobre como atuar em situações emergenciais, operar equipamentos de combate a incêndios, auxiliar no plano de abandono, identificar produtos perigosos, reconhecer os riscos e prestar os primeiros socorros, visando preservar a vida e o patrimônio. As ações serão coordenadas pelo Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT) subordinado à Diretoria de Saúde Ocupacional (DISO).

“Quando montamos a equipe do SESMT, em outubro do ano passado, começamos a levantar as principais demandas das secretarias e identificamos a necessidade dos brigadistas. Quando levamos o assunto até a Secretaria de Administração, tivemos conhecimento de que essa era também uma antiga necessidade das escolas”, explicou a diretora de Saúde Ocupacional, Solange de Freitas. 

Por esse motivo, escolas e CMEIS terão prioridade na formação dos brigadistas, que começa no próximo mês de julho. De acordo com o Departamento de Saúde Ocupacional, cada unidade escolar terá pelo menos 5 brigadistas. Com relação às repartições públicas, o número varia conforme o tamanho do departamento e a quantidade de servidores lotados. Como se trata de um amplo projeto, não há previsão para o término das formações. “Começaremos com as escolas e seguiremos no ano que vem com todas as secretarias. Estimamos que 250 departamentos devam receber servidores capacitados para a função”, esclareceu Solange. O Grupo de Brigadistas de Incêndio será composto por servidores do regime estatutário e celetista da Administração Direta. 

Atribuições
Os líderes e membros brigadistas serão responsáveis pelas seguintes ações: prevenção e análise dos riscos; Informar ao setor competente a correção das eventuais irregularidades encontradas; orientação à população fixa e flutuante; participação nos exercícios simulados; conhecer o plano de emergência da edificação; inspeções mensais de extintores e hidrantes; inspeções diárias das saídas de emergências e averiguação das sinalizações. 

Em situações de emergência, os membros do grupo devem identificar a situação de risco, cortar a energia, acionar o alarme para abandono de área, combater o principio de incêndio, acionar o Corpo de Bombeiros, fazer os primeiros socorros, recepcionar e orientar o Corpo de Bombeiros. 

Para facilitar no reconhecimento dos membros que compõe a brigada, será disponibilizada uma identificação visual que devera ser usada durante o horário de trabalho, fixada na altura do tórax, no cordão do crachá ou diretamente na vestimenta utilizada. 

Considerações
O Decreto Municipal nº 27.273 está baseado na Norma Regulamentadora 23 do Ministério do Trabalho e Emprego – MTE, que normatiza adoção de medidas de prevenção de incêndios; no Código de Segurança Contra Incêndio e Pânico do Corpo de Bombeiros do Paraná de 8 de janeiro de 2012; na Portaria do Comando do Corpo de Bombeiros no 002/2011 de 8 de outubro de 2011, e na Norma de Procedimento Técnico – NPT 017 – Brigada de Incêndio do Comando do Corpo de Bombeiros do Estado do Paraná. 


Comentário